«Penso agora em flores, sorrisos, desejo de mulher, e compreendo que todo o meu horror de morrer está contido em meu ciúme de vida.


Home | Links | Sobre


ALBERT CAMUS EM PORTUGUÊS PÁGINA DE DIVULGAÇÃO E ESTUDO DA OBRA DO ESCRITOR E FILÓSOFO ARGELINO ALBERT CAMUS


«Penso agora em flores, sorrisos, desejo de mulher, e compreendo que todo o meu horror de morrer está contido em meu ciúme de vida. Sinto ciúme daqueles que virão e para os quais as flores e o desejo de mulher terão todo o seu sentido de carne e de sangue. Sou invejoso porque amo demais a vida para não ser egoísta... Quero suportar minha lucidez até o fim e contemplar minha morte com toda a exuberância de meu ciúme e de meu horror»

Albert Camus





MATÉRIA DE CAPA:
"A revolta do homem absurdo" - Jorge Luis Gutiérrez


Filosofia Ciência & Vida 21 traz uma discussão sobre o sentido da vida, baseada na obra de Albert Camus. Para o pensador e literato, a condição humana revela grandes absurdos e pouca finalidade, como em seu mito de Sísifo - personagem cujo feito principal de sua vida é desfeito em casualidades, em comparação ao que ocorre em nossa existência






"O filosofo do Niilismo" - Jorge Luis Gutiérrez

O filosofo do Niilismo. Revista de Filosofia. Filosofia Nietzsche.
O filosofo e escritor Albert Camus analisou o niilismo contido na obra nietzschiana.
"É preciso dizer sim ao devir" (Nietzsche) O homem revoltado foi escrito em 1951 . Época na qual ainda estavam fresca na memória da Europa as ..."







«Não existe pátria para quem desespera e, quanto a mim, sei que o mar me precede e me segue, e minha loucura está sempre pronta. Aqueles que se amam e são separados podem viver sua dor, mas isso não é desespero: eles sabem que o amor existe. Eis porque sofro, de olhos secos, este exílio. Espero ainda. Um dia chega, enfim...»

Albert Camus


«Mas só há um mundo. A felicidade e o absurdo são dois filhos da mesma terra. São inseparáveis. O erro seria dizer que a felicidade nasce forçosamente da descoberta absurda. Acontece também que o sentimento do absurdo nasça da felicidade. “Acho que tudo está bem”, diz Édipo e essa frase é sagrada. Ressoa no universo altivo e limitado do homem. Ensina que nem tudo está perdido, que nem tudo foi esgotado. Expulsa deste mundo um deus que nele entrara com a insatisfação e o gosto das dores Inúteis. Faz do destino uma questão do homem, que deve ser tratado entre homens. Toda a alegria silenciosa de Sísifo aqui reside. O seu destino pertence-lhe»

Albert Camus



© 1996 - ALBERT CAMUS EM PORTUGUÊS - Todos os direitos reservados ALBERT CAMUS EM PORTUGUÊS - PÁGINA DE DIVULGAÇÃO E ESTUDO DA OBRA DO ESCRITOR E FILÓSOFO ARGELINO ALBERT CAMUS