Colaboladores|Links|Sobre|home


Revista Pandora Brasil - ISSN 2175-3318
Revista de humanidades e de criatividade filosófica e literária



Índice   Sobre o livro    Próximo poema »






TANTAS VEZES

(Jorge Luis Gutiérrez)


Tantas vezes me pareceste infinita
e tantas vezes te senti infinitamente.

Tantas vezes te cogitei fisicamente
e tantas vezes te cogitei metafisicamente.

Tantas vezes te julguei em movimento
e tantas vezes te julguei em repouso.

Tantas vezes te refleti concluída
e tantas te refleti interminada.

Tantas vezes pensei que eu era teu centro
e tantas vezes pensei que tu não tens centro.

Tantas vezes raciocinei
que tu eras fixa e imóvel
e tantas vezes raciocinei
que em ti nada é fixo
e nunca estás imóvel.

Tantas vezes conjeturei que sempre
estavas no mesmo lugar,
e tantas vezes conjeturei que sempre
estavas num outro lugar.

Tantas vezes te ponderei como realidade
e tantas vezes te ponderei como ficção.

Tantas vezes te presumi como conexão
e tantas vezes te presumi como ruptura.

Tantas vezes experimentei teu amor
e tantas vezes experimentaste meu amor.

Tantas vezes achei
que me amavas mais que eu
e tantas vezes achei
que eu te amava mais que tu.

Tantas vezes te poetizei reta
e tantas vezes te poetizei curva.

Tantas vezes te escrevi no passado
e tantas vezes te escrevi no futuro.

E tantas vezes filosofei que tu mostravas
a imensurabilidade de teu amor,
constante e persistente,
com um amor alterável e instável.

E tantas vezes filosofei que através
de um amor alterável e instável,
tu mostravas a imensurabilidade
de teu amor constante e persistente.

Tantas vezes te desenhei perfeita
e tantas vezes te desenhei frágil.

E tantas vezes te enchi de beijos de amor
e tantas vezes te enchi de beijos de adeus.

E tantas vezes te deixei ir
e tantas vezes te trouxe de volta.

E tantas vezes fui embora
e tantas vezes voltei.

E tantas vezes fostes embora
e tantas vezes voltaste.

Tantas vezes...
Tantas vezes...


____________________________________

Poema publicado no livro de Jorge Luis Gutiérrez
"Inundada de luz, poemas de amor e filosofia episódica"
São Paulo, Editora Baraúna, 2010.





Colaboladores|Links|Sobre|home