Colaboladores|Links|Sobre|home


Revista Pandora Brasil - ISSN 2175-3318
Revista de humanidades e de criatividade filosófica e literária



Índice   Sobre o livro    Próximo poema »






BRINDO POR VOCÊ NOS INFINDÁVEIS MARES

(Jorge Luis Gutiérrez)


E nos vales escorreu maduro,
do manancial nascente,
o afável vinho da virtude.

As parreiras dormem
fotograficamente,
nos leitos dos mares transcorridos.

As obras deleitosas
enchem gratamente os cálices,
numa dança de feminina fragrância,
veleidade e pureza.

Plena de sabores:
você eleva-se nas aquarelas
refletidas no vinho.

A taça espelha os ecos
de sua canção
nos alcantilados do amor.

Sublime reflexo,
miragem no orbe das crônicas.

Você chama-me desde
os intensos abismos da vontade...

Imagem que amedronta
os navegantes.

Mas, eu nada temo:
já atravessei os recifes
sem tampar meus ouvidos.
E na esperança de afundar em seus amores,
não quis amarrar-me ao mastro.

Fui náufrago em sua água...
Bebi o sal misturado com o mel.
Senti seu sangue pulsando,
martelando...
Soçobrei nos rochedos
de poesia e jabuticabas.

E agora enquanto o sol abrasa
de luz as esteiras azuis...
Brindo por você,
nos infindáveis mares.

Brindo por você,
coruja das ilhas da alvorada.


____________________________________

Poema publicado no livro de Jorge Luis Gutiérrez
"Inundada de luz, poemas de amor e filosofia episódica"
São Paulo, Editora Baraúna, 2010.





Colaboladores|Links|Sobre|home